19 de mar de 2014

Homenagem aos centenário de Carolina Maria de Jesus

Carolina

Carolina,
No lodo,
Nos versos
No esgoto
Sua sina...

Há cem anos
Você nascia

A poesia renascia
No quarto de despejo
Narrava o dia-dia,
O descaso do governo
A rotina aflita

Aqueles seus cadernos
Aquela sua romaria,
Carolina!
No lixão, na terra
Ecoavam melancolia
Enquanto sofria
Você neles escrevia
Você neles se escrevia
Você neles vivia, Carolina!

Das suas linhas
Um grito, um manifesto, uma cusparada saía:
- Se me querem miséria,
Ficarão surdos de elegias!
- Se me querem passiva,

Serão atacados com poesias!

Nenhum comentário:

Postar um comentário